CONFISSÃO DE FÉ

 

As Solas

 

- Nisto Cremos - 

 

I

A Bíblia

Acreditamos que a Bíblia, composta do Antigo e do Novo Testamentos, é a inspirada, infalível e autoritária Palavra de Deus

(Mateus 5:18; 2 Timóteo 3:16-17).

Em fé acreditamos que a Bíblia é inerrante em seus escritos originais, inspirada por Deus e a autoridade completa e final para conduta e doutrina

(2 Timóteo 3:16-17).

Mesmo usando os estilos individuais dos autores humanos, o Espírito Santo os guiou perfeitamente para garantir que escrevessem exatamente o que Deus queria, sem erros ou omissões

(2 Pedro 1:21).


 II

Deus

Cremos em um Deus, que é o Criador de tudo que há (Deuteronômio 6.4; Colossenses 1.16), o qual revelou-se em três Pessoas distintas: Pai, Filho e Espírito Santo  (IICoríntios 13.14), ao mesmo tempo sendo apenas um em seu ser, essência e glória (João 10.30).

Deus é eterno (Salmos 90.2), infinito (1 Timóteo 1.17) e soberano (Salmos 93.1).

Deus é onisciente (Salmos 139.1-6), onipresente (Salmo 139.7-13), onipotente (Apocalipse 19:6) e imutável (Malaquias 3.6).

Deus é santo (Isaías 6.3), justo (Deuteronômio 32.4) e reto (Êxodo 9.27).

Deus é amor (1 João 4.8), gracioso (Efésios 2.8), misericordioso (1 Pedro 1.3) e bom

(Romanos 8.28).


 III

Jesus Cristo

Acreditamos na divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Ele é Deus encarnado, Deus em forma humana, a expressa imagem do Pai, que, sem deixar de ser Deus, se fez homem para que pudesse então demonstrar quem Deus é, assim como providenciar o meio de salvação para a humanidade (Mateus 1:21; João 1:18, Colossenses 1:15).


Acreditamos que Jesus Cristo foi concebido do Espírito Santo e nasceu da Virgem Maria; que Ele é verdadeiramente e plenamente Deus e ao mesmo tempo verdadeiramente e plenamente homem; que Ele viveu uma vida perfeita e sem pecado; que todos os Seus ensinamentos são verdadeiros

 (Isaías 14; Mateus 1:23).

Acreditamos que o Senhor Jesus Cristo morreu na cruz por toda a humanidade (1 João 2:2) como um sacrifício substitucionário (Isaías 53:5-6).

Afirmamos que Sua morte é suficiente para fornecer salvação para todos os que O recebem como Salvador (João 1:12, Atos 16:31); que nossa justificação é fundamentada no derramamento de Seu sangue (Romanos 5:9; Efésios 1:17), e que é comprovada pela sua ressurreição literal e física dos mortos

(Mateus 28:6; 1 Pedro 1:3).


Acreditamos que o Senhor Jesus Cristo ascendeu ao Céu em Seu corpo glorificado (Atos 1:9-10) e está agora sentado à direita de Deus como nosso Sumo Sacerdote e Advogado (Romanos 8:34, Hebreus 7:25).


 IV

O Espírito Santo

Acreditamos na divindade e personalidade do Espírito Santo (Atos 5:3-4).

Ele regenera os pecadores (Tito 3:5) e habita nos fiéis (Romanos 8:9).

Ele é o agente pelo qual Cristo batiza todos os crentes em Seu corpo (1 Coríntios 12:12-14).

Ele é o selo através do qual o Pai garante a salvação dos fiéis até o dia da redenção (Efésios 1:13-14).

Ele é o Mestre Divino que ilumina os corações e mentes dos crentes à medida que estudam a Palavra de Deus (1 Coríntios 2:9-12).


Acreditamos que o Espírito Santo é soberano e o único responsável pela distribuição dos dons espirituais (1 Coríntios 12:11).

Acreditamos que os dons miraculosos do Espírito, embora não estejam fora da habilidade do Espírito de realização, não mais funcionam como no início do desenvolvimento da igreja (1 Coríntios 12:4-11; 2 Coríntios 12:12; Efésios 2:20; 4:7-12).


V

Anjos e Demônios

Acreditamos na realidade e personalidade dos anjos. Nós acreditamos que Deus criou os anjos para serem Seus servos e mensageiros (Neemias 9:6; Salmos 148:2; Hebreus 1:14).


Acreditamos na existência e personalidade de Satanás e seus demônios.

Satanás é um anjo caído do céu que levou um grupo de anjos a rebelar-se contra Deus (Isaías 14:12-17; Ezequiel 28:12-15). Ele é o grande inimigo de Deus e do homem, e os demônios são seus agentes no mal. Ele e seus demônios serão eternamente punidos no lago de fogo (Mateus 25:41; Apocalipse 20:10).


VI

Humanidade

Acreditamos que a humanidade passou a existir através da criação direta de Deus e que a humanidade é exclusivamente feita à imagem e semelhança de Deus (Gênesis 1:26-27).

Acreditamos que toda a humanidade, em virtude da queda de Adão, herdou uma natureza pecaminosa; que todos os seres humanos escolhem pecar (Romanos 3:23); e que todo pecado é extremamente ofensivo a Deus (Romanos 6:23).

A humanidade é absolutamente incapaz de corrigir seu estado caído e pecaminoso (Efésios 2:1-5,12).


 

 VII

Salvação

Acreditamos que a salvação é um dom da graça de Deus através da fé na obra completa de Jesus Cristo na cruz (Efésios 2:8-9).

A morte de Cristo realizou por completo a justificação através da fé, assim como a redenção do pecado.

Cristo morreu em nosso lugar (Romanos 5:8-9) e carregou os nossos pecados no Seu próprio corpo (1 Pedro 2:24).


Acreditamos que a salvação é recebida apenas através da graça, por meio da fé em Cristo e só nEle.

Boas obras e obediência são resultados da salvação, e não exigências para a salvação.

Devido à grandeza, suficiência e perfeição do sacrifício de Cristo, todos aqueles que têm verdadeiramente recebido a Cristo como Salvador estão eternamente seguros na salvação, a qual é protegida pelo poder de Deus e garantida e selada em Cristo para sempre

(João 6:37-40 ; 10:27-30; Romanos 8:1, 38-39; Efésios 1:13-14; 1 Pedro 1:5; Judas 24).

Assim como a salvação não pode ser recebida através de boas obras, ela também não precisa de boas obras para ser mantida ou sustentada. Boas obras e vidas transformadas são resultados inevitáveis da salvação (Tiago 2).


VIII

Igreja

Acreditamos que a Igreja, o Corpo de Cristo, é um organismo espiritual composto de todos os crentes da presente era (1 Coríntios 12:12-14; 2 Coríntios 11:2; Efésios 1:22-23, 5:25-27).

Acreditamos na ordenança do batismo do crente como um testemunho de Cristo e da sua identificação com Ele e na ordenança da Ceia do Senhor como uma lembrança da morte de Cristo e do Seu sangue derramado (Mateus 28:19-20; Atos 2 :41-42, 18:8, 1 Coríntios 11:23-26).

Através da igreja, os crentes devem ser ensinados a obedecer ao Senhor, a testemunhar sobre a sua fé em Cristo como Salvador e a honrá-lO com uma vida santa.

Acreditamos na Grande Comissão como a principal missão da Igreja.

É a obrigação de todos os crentes de ser um testemunho, através de palavra e ação, das verdades da Palavra de Deus. O evangelho da graça de Deus é para ser pregado para todo o mundo (Mateus 28:19-20; Atos 1:8, 2 Coríntios 5:19-20).


IX

Coisas por vir

Acreditamos na bem-aventurada esperança (Tito 2:13), na vinda pessoal e iminente do Senhor Jesus Cristo para arrebatar Seus santos (1 Tessalonicenses 4:13-18).

Acreditamos no retorno visível e corporal de Cristo à terra com Seus santos para estabelecer Seu prometido reino milenar (Zacarias 14:4-11; 1 Tessalonicenses 1:10; Apocalipse 3:10, 19:11-16, 20:1 -6).

Acreditamos na ressurreição física de todos os homens- dos santos à alegria e felicidade eterna sobre a Nova Terra, e dos ímpios ao castigo eterno no lago de fogo (Mateus 25:46, João 5:28-29; Apocalipse 20:5 -6, 12/13).

Acreditamos que as almas dos fiéis são, no momento da morte, ausentes do corpo e presentes com o Senhor, onde aguardam a sua ressurreição, quando espírito, alma e corpo são reunificados para serem glorificados para sempre com o Senhor (Lucas 23:43; 2 Coríntios 5:8, Filipenses 1:23, 3:21, 1 Tessalonicenses 4:16-17).

Acreditamos que as almas dos incrédulos permanecem, após a morte, em miséria consciente até a sua ressurreição, quando, com a alma e o corpo reunificados, aparecerão no julgamento do grande Trono Branco e serão lançados no lago de fogo para sofrer castigo eterno (Mateus 25:41-46; Marcos 9:43-48, Lucas 16:19-26; 2 Tessalonicenses 1:7-9; Apocalipse 20:11-15).


 

 A confissão de fé exposta acima, se manifesta nos 5 principios da fé cristã reformada.

 "Principíos Resgatados pela Reforma Protestante"... mais conhecidos como "Os Solas"(do latim, "Somente"), que são: 

Sola Fide (Somente pela Fé):

Reafirmamos que a justificação é somente pela graça, somente por intermédio da fé e somente por causa de Cristo. Na justificação a retidão de Cristo nos é imputada como o único meio possível de satisfazer a perfeita justiça de Deus. Negamos que a justificação se baseie em qualquer mérito que em nós possa ser achado, ou com base numa infusão da justiça de Cristo em nós; ou que uma instituição que reivindique ser igreja, mas negue ou condene o princípio da sola fide, possa ser reconhecida como igreja legítima.

 

Sola Gratia (Somente pela Graça):

Reafirmamos que na salvação somos resgatados da ira de Deus unicamente pela sua graça. A obra sobrenatural do Espírito Santo é que nos leva a Cristo, libertando-nos de nossa servidão ao pecado e erguendo-nos da morte espiritual à vida espiritual. Negamos que a salvação seja, em qualquer sentido, obra humana. Os métodos, técnicas ou estratégias humanas, por si só, não podem realizar essa transformação. A fé não é produzida pela nossa natureza não regenerada.

 

Sola Scriptura (Somente as Escrituras):

Reafirmamos a Escritura inerrante como fonte única de revelação divina escrita, única para constranger a consciência. A Bíblia sozinha ensina tudo o que é necessário para nossa salvação do pecado e é o padrão pelo qual todo comportamento cristão deve ser avaliado. Negamos que qualquer credo, concílio ou indivíduo possa constranger a consciência de um crente, que o Espírito Santo fale independentemente de, ou contrariando, o que está exposto na Bíblia, ou que a experiência pessoal possa ser veículo de revelação.

 

Solo Christus (Somente Cristo):

Reafirmamos que nossa salvação é realizada unicamente pela obra mediatória do Cristo histórico. Sua vida sem pecado e sua expiação por si só são suficientes para nossa justificação e reconciliação com o Pai. Negamos que o evangelho esteja sendo pregado se a obra substitutiva de Cristo não estiver sendo declarada e a fé em Cristo e sua obra não estiverem sendo invocadas.

 

Soli Deo Gloria (Gloria somente a Deus):

Reafirmamos que, como a salvação é de Deus e realizada por Deus, ela é para a glória de Deus e devemos glorificá-lo sempre. Devemos viver nossa vida inteira perante a face de Deus, sob a autoridade de Deus, e para sua glória somente. Negamos que possamos apropriadamente glorificar a Deus se nosso culto for confundido com entretenimento, se negligenciarmos o evangelho em nossa pregação ou se permitirmos que o afeiçoamento próprio, a autoestima e a autorrealização se tornem opções alternativas ao evangelho.


 

(Conforme Declaração de Cambridge, promovida pela Aliança de Evangélicos Confessionais. Massachusetts, 20 de abril de 1996).


 Att: Elisson Freire