Criar um Site Grátis Fantástico

- Os Adventistas e suas contradições -

- Os Adventistas e suas contradições -

AS CONTRADIÇÕES DE ELLEN WHITE 


 

Os adventistas seguem cegamente (ou fingem seguir) as “instruções” da sua papisa Ellen White. Essa mulher era, comprovadamente, uma falsa profetisa. Ela era contraditória, e, naturalmente, nenhuma contradição vem de Deus.

 

 Contra a Política ou a Favor Dela?

 

     Escreveu a Papisa: “Tendes pensamentos que não ousais exprimir de poderdes um dia alcançar as alturas da grandeza intelectual; de poderdes assentar-vos em conselhos deliberados e legislativos cooperando na elaboração de leis para a nação? Nada há de errado nessas aspirações” (Ellen White. Mensagens aos jovens. Santo André: Casa Publicadora Brasileira. 4 ed. 1978, p. 36);

 

     A Papisa se contradiz: “Os filhos de Deus têm de separar-se da política, de toda a aliança com os incrédulos. Não devem ligar seus interesses aos do mundo” (Ellen White. Fundamentos da Educação Cristã. Santo André: CPB. 1975, p. 483,).

 

Os Dons de Curar Cessaram ou Continuam?

 

    Escreveu a Papisa: “Vi que, se a igreja sempre tivesse conservado seu caráter peculiar e santo, o poder do Espírito Santo que fora comunicado aos discípulos ainda estaria com ela. Os doentes seriam curados, os demônios seriam expulsos, e ela seria poderosa e um terror para os seus inimigos” ( Ellen White. Primeiros Escritos. Santo André: CPB. 2 ed. 1976, p. 227).

 

A Papisa se Contradiz: “A maneira por que Cristo trabalhava era pregar a Palavra e aliviar o sofrimento por obras miraculosas de cura. Estou, porém, instruída de que não devemos trabalhar agora dessa maneira, pois Satanás exercerá seu poder pela operação de milagres. Os servos de Deus hoje NÃO PODERIAM trabalhar mediantes milagres, pois espúrias obras de cura, pretendendo ser divinas, serão operadas”. “Por esta razão o Senhor destinou um meio pelo qual seu povo pode executar uma obra de cura física, aliada ao ensino da Palavra. Devem estabelecer sanatórios, e com essas instituições devem estar ligados obreiros que façam genuína obra médico-missionária. Estende-se assim, protetora influência em torno dos que vão aos sanatórios em busca de cura” (Medicina e Salvação, pág. 54, CPB, 1a. Edição, grifo nosso).

 

 Aqui os adventistas ficariam num beco sem saída, caso as incoerências da genitora do Adventismo não fossem hereditárias.

Mas, como eles “puxaram” a mãe, “resolveram” esse problema assim: Ora optam por uma de suas posturas, ora fazem as duas coisas, enfatizando uma mais do que a outra.

Por exemplo, no que diz respeito à política, ficaram com Mensagens aos Jovens, pág. 36; e, acerca dos milagres, a Igreja Adventista realiza cultos de oração pelos enfermos e problemáticos diversos e constroem hospitais em todo o mundo.

Com a expressão “estou instruída”, Ellen G. White quer dizer que não estava externando a sua opinião pessoal, e sim, exarando sob inspiração divina.

 

 

Afinal devemos procurar em primeiro lugar, Deus ou os médicos?

Comentário

O problema é que Ellen G White cai em contradição ao ter escrito em outro livro o seguinte: “E ao fim de seu ministério terrestre, quando encarregou os discípulos da solene missão de irem “por todo o mundo” e pregarem “o Evangelho a toda a criatura”, Ele declarou que seu ministério seria confirmado por meio da restauração dos doentes. “porão as mãos sobre os enfermos”, disse Ele “e os curarão”. (Marcos 16:15 e 18). Curando em seu nome as doenças do corpo, testificariam de Seu poder quanto à cura da alma”. “A comissão do Salvador aos discípulos inclui todos os crentes, ate o fim dos tempos”. (Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes. 3ª edição. Santo André: CPB, 1975, paginas 419 e 420).

Mais uma declaração da Sra. White, que contradiz abertamente a primeira. Que o dileto leitor releia a primeira e, em seguida esta:

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão. (Marcos 16:15- 18)

Prossegue ela dizendo; “A tradução de Campbell diz; “Estas miraculosas faculdades acompanharão os crentes.” Ou seja, os dons não foram apenas dados aos apóstolos, mas estenderam-se aos crentes. Quem os receberá? Aqueles que crerem! Até quando? Não há limitação; a promessa segue paralela com a grande comissão de pregar o Evangelho e alcançar o último crente.”
 (Primeiros escritos 2ª edição, pagina 134).


Na primeira citação, E. G. White afirma que já em seu tempo, Deus tinha criado novo método de curar doentes (os hospitais). Declara também que Deus cessou o método de curas milagrosas, porque Satanás pode tirar proveito disso.

Continua E.G.White: “O povo de Deus não encontrará sua segurança na operação de milagres, pois Satanás havia de falsificar qualquer milagre que fosse feito.”. (Mensagens Escolhidas, vol.II, págs. 54).

As contradições de E.G.White são nesse caso gravíssimas. Num livro diz que os milagres devem acompanhar os crentes até a volta de Cristo; noutro livro diz que os crentes não devem trabalhar com milagres, por que Satanás falsificará tais prodígios.

Tiremos então de circulação as notas e moedas verdadeiras por causa das falsas!... É irracional! Só porque Satanás pode falsificar milagres Deus parará de fazer milagres? E.G.White certamente divagava quando escreveu isso. Não bastasse tamanha heresia, temos aí o indestrinçável problema das contradições, pois ora diz que os milagres deverão existir até o fim dos tempos, ora diz que os milagres devem cessar, pois Satanás pode falsificar curas.

A própria Igreja Adventista não concorda com essa declaração de E.G.White, declaração que afirma ter Deus mudado o Método de curar enfermos – de milagres para hospital. A Igreja Adventista realiza todas as quartas-feiras seu culto de oração pelos doentes e por todos os que solicitam prece por algum problema, seja qual for. Isso prova que os próprios adventistas não respeitam a posição de E.G. White, incluindo ai a Igreja Adventista - Movimento de Reforma.

E.G.White apresenta uma solução para o dilema, alegando que compete aos sanatórios realizar os “milagres”, ou seja, as curas através de tratamentos médicos.

A contradição é irreparável e até mesmo dispensa maiores comentários, todavia seguem-se outras ponderações:

Declara também E.G. White que Deus é o autor dessa alternativa, dessa solução, deixando claro que Ele cessou a operação de milagres, com fim de não serem confundidos com os milagres de Satanás. Pergunta-se: E nos tempos apostólicos, nos dias de Cristo, quando Deus fez tantos milagres, Satanás não operava prodígios que pudessem se confundir com os feitos miraculosos de Deus? O equívoco a que se refere E.G.White não poderia da mesma forma ocorrer naquela época? Satanás não existia no começo da Era Cristã? Por acaso Deus não e o mesmo ontem, hoje e sempre (Hebreus 13:8)? O problema que E.G.White afirma haver hoje teria se verificado obviamente à época de Cristo e dos apóstolos, ou melhor, desde o Éden. A ilação teológica da Sra. White é, portanto inelutável.

E.G.White torna também explicito que Deus tem atualmente outra técnica de cura: a dos sanatórios, assertiva que afronta gravemente as Escrituras. “Está alguém doente? Chame os presbíteros da igreja; e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o doente, e o Senhor o restabelecerá; e se tiver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai os vossos pecados uns aos outros para serdes curados.” (Tiago 5:14-16)

O ministério de Cristo era tridimensional: Pregava, Curava e Ensinava. Tal incumbência Jesus transmitiu a nós outros pela Sagrada Escritura. “E Jesus percorria toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas pregando a Boa-Nova do reino e curando todas as doenças e todas as enfermidades no meio do povo.”

Baseando-nos em E.G.White, poderíamos inferir que qualquer cura recebida pelos fiéis do adventismo não provem de Deus, pois a metodologia terapêutica agora é outra – a hospitalar somente. Dentro do lógico raciocínio, as curas alcançadas entre os adventistas origina-se de outra fonte que não é divina!

Os adventistas oram pelos enfermos nas igrejas, em casa e até mesmo nos hospitais. Segue-se que a própria Igreja Adventista não dá ouvidos a essa instrução de E.G.White

A contradição adquire erros acentuados quando E.G. White afirma ter sido instruída por Deus, pelo que tange à colocação que faz sobre as curas e os hospitais. Não diz ela que foi instruída por irmãos na fé, por parentes e amigos ou que tal orientação é iniciativa dela, particularmente. Insiste em afirmar que foi instruída por Deus sobre o assunto.

Uma coisa é certa, entre outras: Deus ainda não desistiu de realizar milagres por causa das mistificações de Satanás. A dedução que fica é: Deus não foi o instrutor de E.G. White nesse assunto.

Conforme E.G. White, a Igreja Adventista estaria hoje realizando milagres, em cumprimento de Marcos 16:17,18, caso o Espírito Santo estivesse atuando em seus congregados. Na primeira citação E.G. White lamenta o fato de a igreja não estar hoje experimentando a operação dos milagres prometidos na Palavra de Deus.

Não apenas isso, mas repreende a igreja por sua omissão a esse respeito. Com tal atitude, a contradição fica fortemente caracterizada. Numa declaração condena a igreja por não estar, por meio do Espírito Santo, realizando milagres; noutra, diz que a igreja está proibida de efetuar milagres, que o meio de cura é hoje o sanatório.