Criar um Site Grátis Fantástico

Questões que protestantes não podem responder?

Questões que protestantes não podem responder?

10-09-2014

Questões que nenhum protestante consegue responder?

QUEM DISSE QUE NÃO?

Por E. Freire com a colaboração de Evaldo Junior

 

Parte I

Circula pelos meios romanistas e grupos de debate, uma lista dita "implacável" de questões que supostamente nenhum protestante seria capaz de responder. A lista com 32 perguntas, é atribuída ao A. Silva com a colaboração de V.De Carvalho e pode ser vista nesse link (clique aqui)

Contudo, engana-se quem assim pensa que não podemos responder a isso. E se antes não fora respondido não foi por falta de resposta e sim porque ao menos as respostas que sempre damos não foram elaboradas e organizadas no sentido de abordar cada questão que foi reunida nesse link pelos romanistas e então veiculadas em um único artigo. A proposta aqui então será responder cada uma das objeções sem deixar qualquer margem de dúvida ao leitor que poderá checar que não apenas responderemos as objeções levantadas contra nós, como também refutaremos as acusações embutidas sorrateiramente em tais perguntas, e, com muito prazer faremos com que se voltem contra seus próprios autores.

 

De certo que há questionamentos que por serem tão descerebrados, as vezes nem me dou o trabalho de ler. São perguntas repetidas a exaustão por diversos "debatedores romanistas" mas que em nada podem implicar contra a credibilidade da fé cristã reformada  e que é compartilhada e professada por de fato, diversas denominações protestantes.

Cabe ressaltar aqui que por "protestantes" entende-se por aqueles que como dito acima, se identificam, professam e compartilham das teologias desenvolvidas e resgatadas a partir do século XVI, e que se coadunam com os ensinamentos apostólicos registrados nas escrituras e aceitos pela Igreja Primitiva e por ela defendidos.

 

Outra coisa que é necessário ressaltar é o próprio termo "PROTESTANTE". 

 

O termo protestante  surgiu como apelido pejorativo, primeiro para aquele grupo de príncipes eleitores e cidades imperiais alemãs que se atreveram a expressar seu protesto, e testemunho público de objecção, na Dieta de Speyer, que é uma assembleia deliberativa oficial em 1529, contra o Édito de Worms que proibia crer e ensinar as doutrinas luteranas naquelas localidades do Sacro Império Romano-Germánico onde ainda não eram conhecidas, mas que entregava completa liberdade ao clero católico para rebatê-las e persegui-las naquelas localidades do império onde já havia sido implantado. Bem mais tarde é o termo foi aplicado e adquirido por todos os cristãos não romanos ou ortodoxos orientais.

Tal termo portanto é uma designação pejorativa dada a nós por Roma, e nós a aceitamos com prazer... pois de fato, PROTESTAMOS contra o pecado, e as obras do diabo e sua tentativa de subverter a Igreja de Cristo em engôdos da religiosidade hipócrita e anti-bíblica. Também aceitamos com prazer a designação de "seita" que Roma nos dirige, já que ser um cristão protestante e defender o evangelho contra heresias e distorções é ser uma seita, então "nois aseita".

Ainda assim há quem objetive sobre um incalculável numero de denominações protestantes de uma maneira tola, ignorando que é impossível sermos uma IGREJA UNIFORMIZADA em uma unica estrutura eclesiástica. Ignoram estes que o protestantismo não necessariamente é obrigado a manter um sistema central de governo como o que o catolicismo romano séculos depois desenvolveu, pois a reforma se espalhou por diversos lugares e por diferentes reformadores (ZWINGLIO, LUTERO, CALVINO).

Entretanto, estes que assim questionam nossa diversidade, confundem UNIDADE COM UNIFORMIDADE, ignorando ainda propositalmente que apesar de haver pequenas diferenças consuetudinárias(costumes) e doutrinárias, somos UNIDOS no que concerne as principais doutrinas-soteriológicas como salvação, regeneração, justificação, e santíssima trindade, bem como princípios da reforma como sola scriptura, sola fide, sola christi, sola gratia, soli deo gloria. E não há nas escrituras e na igreja antiga nenhuma critica ao modelo de diversidade denominacional. Sendo que a propria igreja em Roma, era constituida por diversas e variadas agremiações cristãs que se reunian em diversos lugares diferentes na própria Roma, desde cemitérios até catacumbas, casas e campos.

 

Assim sendo, os católicos romanos que nos acusam ignorando esses pontos importantes, "dão um tiro no próprio pé", pois a Igreja romana e a ortodoxa também possuem pequenas divergências tendo por base "a mesma tradição", e pra quem ainda intente objetivar algo sobre isso contra nós, sugiro por exemplo, nos demonstrar  qual a verdadeira missa católica, A TRIDENTINA OU DA RCC? OU NOS INFORMAR SE O CONCÍLIO VATICANO II foi assistido ou não pelo Espirito Santo? OU NOS DIZER SE A SUPOSTA PROFECIA DADA EM LA SALLET É FALSA OU NÃO?

Essas são apenas 3 das inúmeras controvérsias que rolam soltas entre os romanistas que hipocritamente nos acusam de sermos desunidos. Mas, se diferenças operacionais e divergências sobre mínimas questões teológicas for indício de divisão, a própria unidade católica romana transforma-se em que? Ora, num conto sem fundamento!

Apesar da diversidade o protestantismo apresenta elementos em comum, e tais elementos são os que nos identificam como cristãos e uma IGREJA UNIDA na mesma fé. Por exemplo..

1-A Bíblia é considerada por todos os protestantes, como a única fonte de autoridade doutrinal e que deve ser interpretada de acordo com regras históricas e linguísticas, observando-se seu significado dentro de um contexto histórico.

2-A salvação é entendida por todos nós, como um dom gratuito (presente, graça, favor imerecido) de Deus onde pela fé temos a certeza de que fomos salvos e recebemos a salvação unicamente em Cristo.

3- Pra todos nós protestantes, as boas obras não salvam, elas são resultados da fé e não causa de salvação.

4O culto protestante sempre é no idioma vernáculo e em sua grande maioria é simples tendo como base as Escrituras Sagradas. Inicia-se com uma oração coletiva, em seguida hinos e louvores fluem dos lábios de todos em adoração a Deus, logo depois da-se inicio a ministração da Palavra, por fim, encerra-se em oração o culto. Em geral ainda temos  pedidos de ofertas voluntárias antes ou depois da ministração dos louvores, algumas considerações finais e sempre com reuniões as quintas, sábados e domingos. Onde todas se reúnem sempre, orando e intercedendo uns pelos outros, e cada uma denominação mantém completa comunhão com as outras onde nenhuma é exclusivista ao ponto de considera-se uma suficiente e unica igreja de Cristo.

5- O protestantismo também, conserva as crenças Cristãs ortodoxas tais como a doutrina trinitária, a cristologia clássica, o credo niceno-constantinopolitano, entre outros.

6- Os protestantes expressam suas posições doutrinais por meio de Confissões de Fé e breves documentos apologéticos que são compartilhados e admitidos como instrução e edificação. Temos a Confissão de Augsburgo que expressa a doutrina Luterana. E as confissões reformadas que incluem a Confissão Escocesa(1560), a segunda Confissão Helvética(1531), a Confissão de Fé de Westminster (1647), os 39 Artigos de Religião da Igreja da Inglaterra(1562). As Declarações de Barmen contra o regime Nazista e a Breve Declaração de Fé da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos. 

7- Todos os protestantes rejeitam parte das doutrinas que caracterizam o catolicismo romano em seu aporte posterior a era da Igreja Primitiva; tais como: o purgatório, a supremacia papal, as orações pelos mortos, a intercessão dos santos, a assunção de Maria e sua virgindade perpétua, a veneração dos santos, a transubstanciação, o sacrifício da missa, o culto às imagens, etc.

8- Todos os protestantes concordam que a autoridade da Igreja está vinculada a obediência da palavra de Deus e não à uma suposta sucessão apostólica. Assim sendo, a Igreja Cristã existe onde se escuta e obedece a palavra de Deus.

Em complemento a esses 8 pontos acima citados, podemos afirmar com toda a certeza que quanto as principais crenças que definem um cristão protestante, não há divergência alguma, ambos concordam no que compete a  Jesus ser Deus,  Espírito Santo ser Deus, Santíssima Trindade, Autoridade das Escrituras, Suficiência de Cristo quanto a nossa salvação, Juízo Final, Condenação, Vida Eterna, Necessidade do Batismo, Igreja como organismo e não como organização, Existência de Anjos e Demônios, Arrebatamento, Culto exclusivo a Deus, Canon de 66 livros da Bíblia, Pecado original, Importância da Ceia ministrada aos membros e o Sacrifício de Cristo na Cruz em nosso resgate pra nos salvar, libertar, lavar, batizar, confirmar e nos levar pro céu. 

Daí eu pergunto, o que nos caracteriza como divisivos? o fato  de não sermos organizados em uma estrutura monolítica, e em um sistema dito infalível de interpretação? O que caracteriza um cristão é sua base doutrinária em conformidade com os ensinos apostólicos ou sua adesão a uma estrutura organizacional com sede em Roma que além de ser uma instituição religiosa ainda por cima é um estado independente?

A Roma Católica de hoje, deveria então se lembrar de seus primeiros passos na vida cristã. Pois...

"Deve ser lembrado que ao contrário da piedosa crença católica, a estrutura episcopal monárquica de governo da igreja (também conhecida como o episcopado monárquico, em que cada diocese era liderada por um único bispo) ainda não existia em Roma neste tempo"(McBrien, Richard P. Lives of the Popes: The Pontiffs from St. Peter to Benedict XVI. Harper, San Francisco, 2005 updated ed., p. 34).

"A comunidade cristã em Roma, bem dentro do segundo século operava como uma coleção de comunidades separadas sem qualquer estrutura central... Roma era uma constelação de igrejas domésticas, independentes umas das outras, cada uma das quais era livremente governada por um ancião. As comunidades, portanto, basicamente seguiam o padrão das sinagogas Judaicas das quais se desenvolveram." (John O'Malley. A History of the Popes. Sheed & Ward, 2009, p. 11)

E aí? Alguma diferença da antiga Roma, pras igrejas protestantes de hoje? Veja que só na cidade de Roma, haviam uma infinidade de comunidades ou igrejas sem qualquer estrutura central de governo e cada comunidade era liderada por um ancião ou presbítero. Bem mais tarde é que estrutura central foi desenvolvida. ISSO TORNA AS IGREJAS DE ANTES DESSA ESTRUTURA DIVISIVAS? Não, pois Paulo quando escreve, ele se refere sempre a todas essas comunidades, como AOS ROMANOS. Ele as via como uma só igreja. Assim como nós temos as diversas denominações protestantes como UM SÓ POVO, UMA IGREJA de CRISTO apesar de haver diversas comunidades sob diversas lideranças eclesiásticas conhecidas como presbíteros.

Fato interessante é que...

"É certo que a posição católica, de que os bispos são os sucessores dos apóstolos por instituição divina, está longe de ser fácil de estabelecer... O primeiro problema tem a ver com a noção de que Cristo ordenou apóstolos como bispos... Os apóstolos eram missionários e fundadores de igrejas; não há nenhuma evidência, nem é de todo provável, de que qualquer um deles alguma vez tenha fixado residência permanente numa igreja em particular como seu bispo... A carta dos Romanos aos Coríntios, conhecida como I Clemente, que data de cerca do ano 96, fornece boas evidências de que cerca de 30 anos após a morte de São Paulo a igreja de Corinto estava sendo liderada por um grupo de presbíteros, sem indicação de um bispo com autoridade sobre toda a igreja local... A maioria dos académicos são da opinião de que a igreja de Roma, muito provavelmente também era liderada nesse tempo por um grupo de presbíteros... Existe um amplo consenso entre os académicos, incluindo muitos católicos, que tais igrejas como Alexandria, Filipos, Corinto e Roma, muito provavelmente, continuaram a ser lideradas por algum tempo por um colégio de presbíteros, e que só no segundo século a estrutura tríplice tornou-se a regra geral, com um bispo, assistido por presbíteros, presidindo a cada igreja local"(Sullivan F.A. From Apostles to Bishops: the development of the episcopacy in the early church. Newman Press, Mahwah (NJ), 2001, pp. 13,14,15).

 

Para além dessa breve introdução, antes de responder as "implacáveis" perguntas romanistas, também é necessário citar que, apesar de haver um numero considerável nessa diversidade protestante, os números não chegam a ser tão monstruosos como aponta a desacerbada militância católica. A World Christian Encyclopedia, de David A. Barrett - publicada pela Oxford University Press, uma obra acadêmica de referência padrão, calcula o numero de denomiçãos protestantes no mundo inteiro como em torno de 9 mil. Mas lembrem-se bem do que se apresenta como protestantismo. O problema é que ignorando o dito acima, muito romanista põe no mesmo balaio protestante, até mesmo seitas anti-trinitárianas e adeptos do kardecismo e sabatismo. Só que isso seria o mesmo que apontarmos para o mesmo grupo, um umbandista e um católico romano, devido ambos cultuarem uma infinidade de mesmos ditos "santos". Para detalhes sobre o numero de denominações protestantes e qual a veracidade de algumas alegações quanto a esse numero e suas implicações, vide esse outro artigo(clique aqui).

 

Dito o introdutório a esse artigo, segue abaixo a primeira parte da objeção/questionamento romanista e em seguida nossa resposta, as duas primeiras questões do link...

QUESTÕES QUE OS PROTESTANTES NÃO PODEM RESPONDER
1)Diz o protestante que religião não salva ninguém. Diz também o protestante que religião não serve para nada. Para justificar sua rebeldia contra a Igreja Católica diz ainda o protestante que Jesus não fundou a Igreja Católica.
Pergunta-se: Jesus fundou o que ? Uma Igreja ? Uma religião ? Ou Jesus não inaugurou nada ?
O que é o cristianismo para você ? Uma Igreja ou uma religião ?
Se Jesus não fundou nada, como e por que você pretende segui-lo ?
Se Jesus não fundou nada, o que significam as palavras: “Sobre ti edificarei a minha igreja” ?
Se Jesus fundou a Igreja Católica, por que você protestante não adere a ela ?
Se Jesus fundou uma religião por que você diz que religião não salva ou não serve para nada ?"

 

Vejam que as perguntas são completamente irrelevantes contra nós, pois não temos que responder sobre aquilo que não afirmamos e muito menos sobre aquilo que não é. 

Pra começar, não erramos quando afirmamos que religião não salva. Se religião salva-se, JESUS não teria que ter vindo. PORTANTO NÃO É A RELIGIÃO QUE SALVA E SIM CRISTO. E Cristo não é religião, Cristo... É A PRÓPRIA SALVAÇÃO.

Antes dele haviam diversas outras RELIGIÕES, como o judaísmo, hinduismo, budismo, mitraismo. Cristo não veio trazer religião, ele veio nos mostrar o CAMINHO, e este caminho É ELE MESMO e não um construto humano de sacrifícios e boas ações pois tudo isso que faz parte da religião e sempre existiu antes dele vir nos resgatar.

Quanto a dizer que religião não serve a nada, ta aí uma coisa que é fruto apenas da mente de quem fez essa declaração desconexa e sem fundamento. Ninguém diz que religião não serve a nada, e sim que ela não tem salvação em si mesma, ou meios pra isso. Mas tem sua utilidade no que se refere as coisas relacionadas ao nosso próprio crescimento e desenvolvimento como pessoas e nossas relações sócio-culturais. Não fosse a religião, como o próprio catolicismo romano, não teríamos universidades e hospitais, escolas, e o estabelecimento de uma cultura moral cristã no ocidente. Diversas religiões tem suas contribuições a humanidade mas nenhuma delas, oferece aquilo que apenas Cristo é... SALVAÇÃO.

Quanto a dizer que Jesus não fundou a Igreja Católica, o camarada que fez uma observação dessas, ou é mesmo um tolo ignorante, ou um desonesto intelectual. Se ele está a se referir a Igreja de Roma, ora com certeza Jesus não pisou os pés lá, e a Igreja não se iniciou em Roma. Além disso, o desonesto ignora que por IGREJA CATÓLICA, não se tem cabimento insinuar que seja exclusivamente a Igreja de Roma, mas sim toda a igreja universal constituída por todos os cristãos espalhados pela face da terra.

Para além disso, é necessário instruir a esse cidadão sobre o significado de Igreja, do grego (EKklesia):


1577 εκκλησια ekklesia(Concordância Strong)
de um composto de 1537 e um derivado de 2564; TDNT - 3:501,394; n f
1) reunião de cidadãos chamados para fora de seus lares para algum lugar público, assembléia
1a) assembléia do povo reunida em lugar público com o fim de deliberar
1b) assembléia dos israelitas
1c) qualquer ajuntamento ou multidão de homens reunidos por acaso, tumultuosamente
1d) num sentido cristão
1d1) assembléia de Cristãos reunidos para adorar em um encontro religioso
1d2) grupo de cristãos, ou daqueles que, na esperança da salvação eterna em Jesus Cristo,
observam seus próprios ritos religiosos, mantêm seus próprios encontros espirituais, e
administram seus próprios assuntos, de acordo com os regulamentos prescritos para o
corpo por amor à ordem
1d3) aqueles que em qualquer lugar, numa cidade, vila, etc, constituem um grupo e estão
unidos em um só corpo
1d4) totalidade dos cristãos dispersos por todo o mundo

1-Grupo de seguidores de Cristo que se reúnem em determinado lugar para adorar a Deus, receber ensinamentos, evangelizar e ajudar uns aos outros(Rm 16.16).2-A totalidade salva das pessoas em todos os tempos(Ef1.22)

Se não ficou claro, bom, pra que o artigo não fique muito extenso e o leitor ache cansativo a exposição de nossa argumentação, vamos as seguintes objeções, respondidas com a colaboração do nosso irmão Evaldo Junior, um de nossos editores.

a) Jesus fundou o que? 
- Jesus não fundou nada. Ele deixou uma mensagem, a mensagem da salvação e discípulos instruídos e preparados para propaga-la pelo mundo, isso sem contar ter deixado a conta dos nossos pecados paga.

b) Uma igreja? 
- Não. Jesus não deixou uma Igreja, visto a Igreja de Cristo tinha oficialmente surgido em Pentecostes com o derramamento do Espírito Santo. Aquele momento fora que ocorreu o Batismo no Espírito, a Igreja de Cristo é unida pelo mesmo Espírito, portanto não poderia ter surgido antes, pois o Espírito Santo ainda não tinha se manifestado para o mundo daquela maneira. Como unificador.

c) Uma religião?
- Qual é o sentido lato de “religião”? Repetida e corriqueiramente ouve-se que religião vem de "religare" e que este religare significaria reatar o homem a Deus. Porém não é assim.
... O tal vocábulo religare nem sequer existe nos melhores dicionários de Latim, e mesmo se existisse não foi esta a palavra usada pelos tradutores das Escrituras quando se depararam com o vocábulo original que se refere a um comportamento de respeito, amor e devoção a Deus. 
... A palavra em português é religião, porém é derivada da palavra utilizada na Vulgata Latina: Religio e na tradução alemã de Martin Luther (Lutero) é Gottesdienst que pode ser traduzida para: serviço a Deus. Portanto, Religio ou Gottesdienst (ambas traduzidas do vocábulo grego: qrhskeiav (aqui transliterado do grego) significam um posicionamento de relação e de serviço voluntário a Deus, o que se dá através do dom da fé. 
... Portanto Religião não significa religar, mas significa, como já dito: Serviço a Deus. E esta palavra, religião, nunca jamais foi citada nas Escrituras significando sinônimo de salvação. 
... O equívoco em admitir que qualquer instituição religiosa traria uma suposta união do homem a Deus tem sido facilmente verificado na prática. Pois quantas e quantas instituições religiosas nada têm a ver com Deus?

d) Ou Jesus não inaugurou nada?
- Jesus não inaugurou nada. Não se tem nada escrito de Jesus cortando fita de inauguração de uma igreja. Não fez nenhuma festa para a inauguração de nenhum santuário, ou de um monumento de nenhum santo católico. Alguém encontrou o verbo “inaugurar” em grego na Bíblia?

e) O que é o cristianismo para você? Uma Igreja ou uma religião?
- Cristianismo não é uma Igreja e nem uma religião. Significa ter fé em Jesus Cristo. Aceitar o sacrifício que Ele realizou por nós na cruz para que pudéssemos obter a nossa salvação. Cristianismo é aceitar de coração a Jesus Cristo como Nosso Senhor e Salvador. É a entrega completa de nossas almas nas mãos daquele que nos criou.

f) Se Jesus não fundou nada, como e por que você pretende segui-lo?
- Como segui-lo? através da Palavra de Deus que é propagada pelos Filhos de Deus. Pessoas que realmente compõem o verdadeiro Corpo de Cristo na Terra, aquelas pessoas que são guiadas pelo Espírito Santo para a edificação da Igreja de Cristo e para a realização das boas obras (Fp 2:13 e Ef 2:10). Por que seguir a Jesus Cristo? Porque Ele é a verdade de Deus que nos liberta da morte e da opressão do pecado. Jesus Cristo é quem nos reconcilia com o Pai. Jesus Cristo é quem nos justifica de todos os nossos pecados. Jesus Cristo é o nosso Criador. Jesus Cristo é Amor. Por que eu não seguiria a Jesus Cristo? Essa é a pergunta a ser feita.

g) Se Jesus não fundou nada, o que significam as palavras: “Sobre ti edificarei a minha igreja”?
- Significa, que o autor desta pergunta está adulterando os versículos bíblicos, para propagar heresia. 
Mateus 16:18 – “E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” Bíblia Ave-Maria
Mateus 16:18 – “Por isso eu lhe digo: você é Pedro, e sobre essa pedra construirei a minha Igreja, e o poder da morte nunca poderá vencê-la.” Bíblia CNBB.

h) Se Jesus fundou a Igreja Católica, por que você protestante não adere a ela?
- Toda Igreja que professa a Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador faz parte da Igreja Católica (Universal). Cada Igreja Local e Visível é uma pequena parcela do todo que integra a Igreja de Cristo. O que não podemos é concordar com a Igreja Romana que distorce os ensinamentos bíblicos através de sua Tradições Humanas e do Paganismo “Cristianizado”.

i) Se Jesus fundou uma religião por que você diz que religião não salva ou não serve para nada?
- Jesus não fundou uma religião. Ele formou discípulos que foram ao mundo, formando mais discípulos e batizando-os, auxiliando desta maneira a edificar a Igreja de Cristo, levando almas para o céu, libertando-os da Morte Eterna.

 

Acabou? Não, isso aí foi o início. O romanista em sua postagem, continua com sua análise "acadêmica" do protestantismo:

Uma denominação protestante tinha 500 membros.
10 membros deixaram a denominação protestante porque o pastor começou a pregar a teologia da prosperidade e estes 10 discordaram.
Dos 10 membros dissidentes, 5 fundaram novas igrejas e os outros 5 foram para outras denominações protestantes, conforme se vê abaixo:.
Os 05 que fundaram novas denominações começaram a pregar pela ordem:

a)Contra o divórcio e a favor de pregadoras mulheres,

b)A favor do divórcio e contra pregadoras mulheres,

c)A favor do aborto,

d)A favor do evangelho judaizante,

e)A favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Os 03 primeiros batizavam e os outros 02 não batizavam. Os 02 primeiros rejeitavam a trindade e os outros 03 a defendiam. 04 aceitavam sacramentos e 01 os rejeitava. 04 batiam palmas e 01 achava tal prática um desrespeito.
Os outros 05 membros dissidentes que foram para as outras denominações dividiram-se da seguinte forma: a)Igreja Batista, b)Denominação pentecostal, c)Igreja Luterana, d)Igreja Adventista, e)Igreja Anglicana
Quais são as nossas dúvidas ?

 

Sua dúvida é o menor de seus problemas amigo, deveria se preocupar é com sua pedante hipocrisia. A sua novela acima, o Evaldo Junior lhe traz uma realidade:

RESPOSTA: Também tenho uma história para contar: Uma denominação, muito grande, desviou dos ensinamentos apostólicos. Iniciou o batismo infantil (Mc 16:15-16; At 2:38) . Estruturou a Hierarquia Eclesiástica dentro da Igreja (Mc 9:34-35) . Absorveu costumes e hábitos pagãos romanos (1 Co 10:20). Se uniu ao Estado e tornou-se sua representante religiosa, fato contrário a que Jesus atuara (Jo 19:9-11). Perseguiu igrejas que não se associavam a ela, massacrando-os, sobre o pretexto de serem hereges, contrário ao ensinamento de Jesus Cristo (Lc 9:52-56). Nessa denominação não se fala em divisão. Apregoa-se que fora dela não existe a menor possibilidade de salvação. Deus é de propriedade exclusiva dela. Deus não atende às outras denominações. Tomou para si a herança de Deus (1 Pe 5:3).

Portanto: “Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.” Mateus 7:5

 

Então romanista? Qual era mesmo sua dúvida? ... 

Qual destes grupos reteve a sã doutrina?

 RESPOSTA: Quem disse que não retiveram a sã doutrina, o problema que a simples doutrina dos apóstolos está mergulhada em várias doutrinas humanas, mas isso não implica que ela não esteja presente nestas denominações e na própria ICR também.

Daí eu pergunto, o que seria essa sã doutrina ensinada pelos apostólos para o romanista?

 

1. Que o Apóstolo Pedro fosse bispo de Roma?
2. Que o ofício apostólico admitisse sucessão?
3. Que os bispos de Roma fossem por direito primazes de toda a igreja?
4. Que os bispos de Roma recebessem o carisma da infalibilidade? (carisma jamais mencionado entre os dons do Espírito Santo).
5. Que os pastores e mestres do Novo Pacto fossem sacerdotes de um modo diferente e superior ao sacerdócio de todo o crente?
6. Que os pecados deveriam ser absolvidos por confissão auricular?
7. Que exista um estado intermédio de purificação que se denomina purgatório? 
8. Que Maria, mãe de Jesus, tenha permanecido perpetuamente virgem?
9. Que Maria, mãe de Jesus, tenha sido preservada do pecado original?
10. Que cumprido o tempo da sua vida terrena, Maria mãe de Jesus tenha ascendido ao céu em corpo e alma?
11. Que seja lícita e proveitosa a veneração de imagens de Jesus, Maria e os santos?

ONDE ALGUM DOS APÓSTOLOS ENSINOU TAIS COISAS?

 

Daí sobre a novela apresentada eu pergunto... e daí que um protestante apoie o aborto? e outro divórcio? ESTAS SÃO QUESTÕES SALVÌFICAS E DOUTRINÁRIAS que são ensinadas nas IGREJAS? Ora, não é obrigado os protestantes como cidadãos concordarem em tudo. Assim como não é suposto Roma acetar divórcio e existirem ainda assim milhares de católicos que se divorciam todos os anos. Roma não aceita pedofilia, mas ainda assim existem padres pedófilos, e pior, centenas de condenados por pedófilia, estupros, assassinato, roubo,  e que lotam os presídios. VAI LÁ E PERGUNTA DE QUE "RELIGIÃO" eles são... A grande maioria vai responder que é católcio romano. E que ta rogando a virgem e ao santo das causas impossíveis que os livre da cadeia.

E sobre alguma igreja ter apoiado tais práticas, podem ter certeza, não são dos nossos, assim como não são dos nossos, os que rejeitam a doutrina da trindade. E se não ficou claro ao romanista, volte acima e leia a introdução desse artigo, daí sua "analise acadêmica" vai se tornar tão insignificante quanto sua acheologia preconceituosa em dizer que protestantes são tão burros, que de 500, 10 se rebelam, formam todo tipo de divergência e ainda assim, os outros 490, os seguem, juntamente com os mais de 500 de cada confissão protestante que guarda a ortoxia doutrinária. 

 

Vá cuidar dos 8 a cada 10 romanistas que aderem ao kardecismo, quando no melhor dos casos, nem a missa vai.

 

Proximo..... O Evaldo responde:

Qual destes grupos pratica o verdadeiro evangelho de Jesus Cristo?

- Elas não anunciam o nome de Jesus Cristo? Elas não anunciam que o sangue derramado de Jesus Cristo pagou os nossos pecados? Elas não apregoam que basta somente a fé em Jesus Cristo, o arrependimento de nossos pecados e a total entrega de nossa alma a Jesus são suficientes para sermos salvos? Se esses itens são atendidos então elas pregam o evangelho de Jesus Cristo, a questão é o evangelho vem incutido em diversas outras coisas secundárias. Tem uns que acreditam ser necessário venerar os santos mortos, orar para imagens, inventar lugares de purificação espiritual intermediários, que objetos e restos mortais de mortos trazem algum poder ou benção aos seus donos...

Qual destes grupos pode ser chamado de sucessores dos verdadeiros apóstolos de Cristo?
- Não existe sucessão apostólica, a única menção de uma suposta sucessão, fora realizada na base da sorte, não sendo consultado Aquele que se fazia presente entre eles para que ocorresse a melhor decisão. O Espírito Santo. O Espírito estava tão fortemente presente entre eles, contudo não fora consultado para saber se aquele procedimento adotado, era o correto a ser feito. Matias não fora escolhido pessoalmente por Jesus Cristo para ser o substituto do traidor. Para desacreditar totalmente este embuste, o próprio Jesus foi atrás daquele que viria a completar o número 12 apóstolos, e a ele foi atribuído as seguintes descrições por parte do próprio Cristo: Vaso Escolhido e Apóstolo dos Gentios. Fora o apóstolo Paulo. A mensagem da escolha e do tipo de escolha feito ficou tão clara, que não se leu mais nada sobre a substituição de apóstolos, pois o único caso de morte de um apóstolo na Bíblia, não se teve nenhuma menção da eleição de seu substituto. A prática fora abandonada.

Quais destes grupos devem ser considerados como hereges?
- Aqueles que praticarem heresias e cujos ensinamentos entram em contradição com as Sagradas Escrituras. Não se pode admitir: invocação/oração aos mortos; prostração e servidão as imagens de escultura; prática de obras para obtenção da salvação, ao invés da comprovação da salvação; rituais humanos que visam uma complementação do sacrifício de Cristo, subentendendo como insuficiente.

Todos estão salvos?
- Não. Nem todos serão salvos. Somente aqueles que creram em Jesus Cristo de todo o seu coração. Não é de exclusividade de nenhuma denominação a promoção da Salvação. Cada um obtém a sua salvação de maneira pessoal e direta com Jesus Cristo. 

Bastou levantar o dedo na denominação protestante que todos já são irmãos em cristo, ainda que sejam todos divergentes entre si.
Se todos estão salvos, por que brigaram e se dividiram?


- Como o próprio autor escreveu... “irmãos em Cristo”. Não somos “irmãos em Denominação/Placa”, e muito menos somos “filhos de Maria”. A união dos Cristãos é em torno de Jesus Cristo. Quem nos unifica é somente um Espírito. Podemos apresentar discordâncias doutrinárias? Sim, podemos. Para Deus o que importa, e a fé em seu Filho, Jesus Cristo.
... Somos divididos em coisas secundárias, porém somos unidos na coisa principal da fé cristã. Somos unidos em Jesus Cristo.

Por que ao invés de brigarem não louvaram a DEUS pela “salvação” de todos?


- Quem disse que nós ficamos brigando? Não estamos em guerra. Apenas não nos unimos uniformes devido doutrinas secundárias, (questões operacionais, usos e costumes, que em nada interferem na credibilidade de uma Igreja. Assim como haver diversas ordens e carismas no catolicismo romanos, não os torna uma igreja dividida mas diversa, não é mesmo?) Existem igrejas onde pastores de outras denominações são bem recebidos e participam dos cultos. Existe o respeito as diferenças doutrinárias, pois sabemos que estas não influenciam negativamente nas doutrinas principais. Evangelho da Salvação e Jesus Cristo.
... E nessas denominações citadas, Deus é louvado pela salvação de seus eleitos, pois sabemos que muitos serão chamados e apenas poucos serão escolhidos.

Qual destes grupos representa a igreja primitiva?


- Creio que a verdadeira igreja primitiva seja aquela descrita no começo de Atos, a qual podia contar com a presença física dos apóstolos e de seus ensinamentos, vivendo de maneira forte o amor de Cristo. Porém, com o tempo, com a expansão do Cristianismo no mundo, e com o falecimento dos apóstolos, as simples características da Igreja Primitiva foram sendo distorcidas, maquiadas e complementadas com doutrinas humanas, que promovia multiplicidade de denominações. Todas são oriundas da Igreja Primitiva, a Igreja de Atos, porém a sua simplicidade, nenhuma delas apresenta.

 

Até aí, vemos que as respostas foram dadas, mesmo com a ignorância do romanista quanto ao fato de que:

1. Essa igreja primitiva não é em exclusivo a Igreja de Roma com a sua arrogante pretensão de ser em exclusividade a Igreja de Cristo.

2. Historicamente a Igreja de Cristo manifestou-se concretamente em congregações locais, cuja comunhão não dependia de uma hierarquia humana centralizada (papado) mas da fidelidade à doutrina de Cristo e dos Apóstolos tal como esta se expressa nas Escrituras.

3. A Igreja de Roma não é católica em sentido exclusivo; no melhor caso é uma parte da Igreja universal.

4. As diversas comunidades protestantes têm certamente um princípio histórico que pode ser traçado (coisa que não pode dizer-se de Roma, já que ninguém senão Deus sabe quem iniciou a Igreja ali), mas todas elas têm em comum a pertença à Igreja autenticamente católica, fundada por Cristo. Nós reconhecemos a história, mas não exaltamos indevidamente os servos que Deus usou em cada período histórico.

5. Lendo novamente a introdução desse artigo pode-se constatar que tais questionamentos foram respondidos. E pode-se entender os 4 pontos anteriores concluindo que tais questionamentos, em nada implica contra nós.

 

Até a próxima. Paz a todos.

Att: Elisson Freire e Evaldo Junior


 

continua....