Criar um Site Grátis Fantástico

Texto sem Contexto é Pretexto

Texto sem Contexto é Pretexto

A Bíblia não diz coisas pela metade

 

Nestas duas últimas décadas criaram-se muitas doutrinas ou idéias doutrinárias baseadas em textos bíblicos, porém isolados dos seus contextos.

Isto não somente é perigoso, como é desones­to, porque cria, na mente de muitos, falsas idéias sobre Deus, sobre Sua providência, sobre a salvação, etc.

Vamos ver alguns desses textos:

... somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou."(Romanos 8:37.)

Este versículo é, quase sempre, citado as­sim, ou apenas a frase: "...somos mais do que ven­cedores..." visto assim é algo bonito, triunfalista, dentro da filosofia do pensamento positivo ou di­nâmico, mas gera uma idéia diferente do que real­mente o apóstolo Paulo estava ensinando.

O versículo 37 inicia-se com uma conclu­são de algo anterior que o apóstolo estava dizendo:

"Mas em todas estas coisas somos mais do que ven­cedores, por aquele que nos amou."

"Em todas estas coisas" é a chave do verdadeiro sentido que Paulo está dizendo.

Que coisas?

Vamos ver o que diz o contexto:

"Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à mor­te todo o dia; fomos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas, em todas estas coisas, somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou." (Romanos 8:35-37.)

Em que, pois, somos mais do que vence­dores? Paulo está se referindo, aqui, a negócios? A bens? A heranças? A desenvolvimento empresarial? Não! Está se referindo a ...

  • Tribulação

  • Angústia

  • Perseguição

  • Fome

  • Nudez

  • Perigo

  • Espada

  • Morte

     

Não é que está errado aplicar o mesmo prin­cípio aos demais quadrantes da vida. O que vem ao caso aqui é que no momento em que Paulo escre­veu esta epístola, estava se referindo aos problemas da vida missionária naquela época.

Outro texto muito citado é

"posso todas as coisas naquele que me fortalece." (Filipenses 4: 13.)

Um grande problema em relação ao uso deste texto é que existe uma tendência de se olhar apenas para um lado, apenas visando o aspecto da obtenção dos bens materiais, sem olhar para o ou­tro ângulo do que o apóstolo colocou.

Já ouvi muitas pessoas usarem este texto assim:

  • posso ficar rico

  • posso comprar uma lancha

  • posso ser um grande empresário



Tudo isto é possível, contudo o versículo não é um texto mágico para criar condições de pro­gresso, sucesso e riquezas. Observando-se o contex­to, descobrimos que o apostolo Paulo estava mostrando todas as facetas do que pode ser um cristão. Vamos ler o texto anterior, ou seja, o contexto:

"Não digo isto como por necessidade, por­que já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância: em toda a maneira, e em todas as coisas fui instruído, tanto a ter abundância, como a padecer necessida­de". Posso todas as coisas naquele que me fortale­ce." (Filipenses 4: 11-13.)

Paulo afirmou categoricamente que se con­tentava com o que tinha, sem a injunção calvinista, seguida pelas novas teologias neopentecostais, que se alguém é crente tem que ser rico e muito rico.

Jesus falou algo muito diferente em Mateus 26:11 e outros textos: "Os pobres sempre os ten­des convosco".

No contexto lido Paulo disse que era possí­vel ter abundância e fartura, mas também disse que, naquele que lhe fortalecia, podia passar fome e pa­decer necessidade.

O que desejamos enfatizar aqui é que a for­ça concedida por Cristo ao filho de Deus capacita­-o a suportar as tribulações, ou aflições, como tam­bém a mantê-lo sereno e humilde no tempo da ri­queza, abundância ou fartura.

Vamos ver, agora, outro texto que dá mar­gem a muitos mal-entendidos e interpretações to­talmente diferentes da realidade:

"O sangue de Jesus Cristo nos purifica de todo pecado." (I João 1:7.)

Até mesmo pessoas não crentes, pertencen­tes às mais heréticas seitas, falam estas palavras, em relação aos seus inúmeros pecados não confessados e sem arrependimento:

"Ora, estou seguro, porque o sangue de Je­sus Cristo me purifica de todo pecado."

Não pode haver erro mais crasso do que este.

Vamos ler o contexto e veremos que não é por aí...

Para começar, o contexto começa com um retumbante SE!

"Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o san­gue de Jesus Cristo, seu filho, nos purifica de todo pecado." (1João 1:7.)

Se não andarmos na luz, nem mantivermos comunhão uns com os outros, evidenciamos, cla­ramente, uma natureza irredenta e, como pode al­guém não redimido ter todos os seus pecados puri­ficados pelo sangue de Jesus?

São inúmeros os textos citados isoladamen­te, fora de contexto, que dão origem a idéias e até a doutrinas espúrias.

Com estes exemplos desejamos, simples­mente, despertar seu raciocínio e santa atenção para não cometer injustiças com a exegese e a hermenêutica, crendo naquilo que a Bíblia não diz.

Vamos ver outro exemplo muito conhecido:

"Maldito o homem que confia no homem." (Jeremias 17:5.)

Com base neste texto sem contexto foram cria­das gerações e gerações de cristãos desconfiados, temero­sos, olhando de esguelha uns para os outros e dizendo:

Estou firmado na Palavra!

Não! Estas pessoas não estão firmadas na Palavra, mas, sim, em parte dela, isolada, sem o sen­tido completo e perfeito do que Deus disse.

É suficiente ler o versículo inteiro, para entender a realidade de algo tão importante:

"Assim diz o Senhor: Maldito o homem que ...

  1. confia no homem,

  2. faz da carne mortal o seu braço,

  3. aparta o seu coração do Senhor."

Ora, se eu não fizer da carne mortal a minha força, o meu braço, a minha confiança, e não apartar meu coração do Senhor, terei suficiente discernimento para confiar nos meus irmãos em Cristo, co-herdei­ros comigo da mesma Graça de Vida.

 

Autor: Paulo de Aragão Lins